30, out

2017


Postado Por:


Compartilhe:

Você Está Cuidando de Seus Próprios Negócios?


Por Robert Tamasy

Quando usamos a expressão “cuidando dos seus próprios negócios” (N.T.: minding your own business, em inglês, ou cuidando da sua vida, em português) geralmente nos referimos a não se envolver ou interferir com os assuntos de outra pessoa. Entretanto, a vida no mundo empresarial e profissional geralmente pode tornar-se uma busca solitária. Isso é particularmente verdadeiro em relação a empreendedores e altos executivos, mas também se aplica à maioria de nós, não importando a posição que ocupamos no organograma da empresa. 

Se formos pessoas confiantes, pode até ser fácil preferirmos “tratar dos nossos próprios negócios” e não nos envolvermos com outros na tomada de decisão e tentativa de solucionar problemas. “Posso fazer isso sozinho”. “Posso vencer com esforço próprio”; “não preciso da ajuda de ninguém”.

Podemos nos sentir assim, às vezes, mas é prova de sabedoria considerar a admoestação: “Antes da sua queda o coração do homem se envaidece, mas a humildade antecede a honra.” (Provérbios 18:12). 

Não consigo contar quantas vezes ao estar envolvido com a publicação de um jornal ou revista, enxerguei a verdade contida no adágio: “O todo é maior do que a soma das partes”. Há muitas razões pelas quais não é sábio tentar ser bem-sucedido no mundo dos negócios por si mesmo. Aqui estão algumas citadas na Bíblia: 

Nenhum de nós é tão inteligente quanto todos nós reunidos. Trabalhar em equipe por um objetivo em comum nos dá a oportunidade de compartilhar sabedoria e experiência, diferentes perspectivas e entendimento. “Sem diretrizes a nação cai; o que a salva é ter muitos conselheiros.” (Provérbios 11:14). “Os planos fracassam por falta de conselho, mas são bem-sucedidos quando há muitos conselheiros.” (Provérbios 15:22). “Assim como o ferro afia o ferro, o homem afia o seu companheiro.” (Provérbios 27:17). 

Precisamos de encorajamento durante os bons tempos e de correção durante tempos de dificuldade e tentação. Mesmo durante tempos prósperos precisamos de suporte. E encorajadores cuidadosos irão nos desafiar sempre que parecermos nos desviar da rota. “E consideremos uns aos outros para nos incentivarmos ao amor e às boas obras. Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas procuremos encorajar-nos uns aos outros…” (Hebreus 10:24-25). “Cuidado, irmãos, para que nenhum de vocês tenha coração perverso e incrédulo, que se afaste do Deus vivo. Ao contrário, encorajem-se uns aos outros todos os dias…de modo que nenhum de vocês seja endurecido pelo engano do pecado.” (Hebreus 3:12-13). 

Cada um de nós tem algo a oferecer. Com a variedade de nossas habilidades e talentos, todos podemos contribuir para cumprir os objetivos e missões desejados que tenhamos estabelecido. “É melhor ter companhia do que estar sozinho, porque maior é a recompensa do trabalho de duas pessoas. Se um cair, o amigo pode ajudá-lo a levantar-se. Mas pobre do homem que cai e não tem quem o ajude a levantar-se!…Um homem sozinho pode ser vencido, mas dois conseguem defender-se. Um cordão de três dobras não se rompe com facilidade.” (Eclesiastes 4: 9-12). 

Outros podem nos redirecionar espiritualmente quando necessário. Muitos no mundo empresarial e profissional  contam com parceiros a quem prestar contas e mentores com cujos conselhos podem contar, receber suporte de oração, bem como admoestação, quando necessário. “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra.” (II Timóteo 3:16-17). 


Topo